Image Map

07 janeiro 2015

Resenha: Divergente - Por Veronica Roth


Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco
Número de páginas: 500
Avaliação: 5/5 

Divergente é o primeiro livro de uma trilogia distópica que foi muito bem falava desde que lançada, eu fiquei curiosa depois de tantas críticas tão boas então resolvi ler e não me arrependi. 

A história se passa na futurística Chicago, onde agora a sociedade é dividida em facções: Amizade, Franqueza, Abnegação, Erudição e Audácia, essas são as 5 facções e cada uma delas tem características específicas e são elas que devem manter a ordem na cidade. "A Amizade é o grupo formado por aqueles que culpavam a agressividade pelos problemas do mundo; a Franqueza, com sua honestidade excessiva, rendeu líderes confiáveis para a Justiça; os que culpavam a ignorância formaram a Erudição; os que acreditavam na culpa do egoísmo formaram a Abnegação, com líderes justos e altruístas; e a Audácia, que desprezava a covardia, ficou responsável por proteger a todos."

Beatrice Prior agora aos 16 anos tem de fazer a escolha mais importante da sua vida: escolher em qual facção ficará para o resto da sua vida. Para isso existe um teste de aptidão, todo os que completam essa idade passam por esse teste e aí eles vão descobrir para qual facção estão aptos. Na Cerimônia de Escolha todos os jovens tem de escolher se vão permanecer na sua facção de nascença ou se vão investir em uma nova jornada. 

O teste de aptidão de Beatrice deu um resultado inconclusivo, como se ela não encaixasse em uma facção específica e isso faz dela uma Divergente, isso é mais perigoso do que ela imagina mesmo que ela não entenda muito bem o porque, isso faz dela diferente, faz com que ela tenha aptidão para mais de uma facção, faz com que ela pense diferente dos outros cidadãos comuns. Depois de lutar muito com seus próprios pensamentos ela decide e escolhe a Audácia como sua nova facção. 

Agora Beatrice que em sua nova facção é chamada de Tris vai participar dos testes físicos, mentais para saber se ela realmente passará a ser membra da facção. O livro gira em torno desses testes até que nas últimas 100 páginas a gente realmente vê o lado distópico, muitos conflitos relacionados ao governo do país, um pouco do que tem por trás das facções. A autora trouxe tantos acontecimentos para esse livro, revoluções, mortes, enfim, que eu nem sei o que esperar dos próximos, só sei que quero ler para ontem haha. 

"Meu pai costumava dizer que, ás vezes, a melhor maneira de ajudar alguém é simplesmente ficando ao seu lado..." Página 203 

Os personagens: Apenas me apaixonei, Tris é uma menina muito destemida, corajosa e não deixa transparecer que também sente medo e que também tem suas fraquezas, a importância e o perigo do que ela é me lembram a Katniss (De Jogos vorazes) mas prefiro a Tris. Quatro sem dúvidas é o meu preferido, por mim eu pulava desse livro e ia para o que a autora escrever só sobre o personagem, ele é muito bem construído, cheio de mistérios, é O personagem, realmente me ganhou total. 

A autora me impressionou, de todas as distopias que eu li essa até agora foi a melhor, muito inteligente, muito bem construída, tudo muito bem encaixado, uma história impactante e que prende o leitor totalmente, chegou um momento que eu não conseguia mais largar o livro e eu não sei nem o que esperar do próximo livro, só imagino que seja tão bom quanto esse, não vejo a hora de ler! 

Então foi isso meninas, desculpem pela resenha enorme mas esse livro foi tão bom que eu eu nem sei como explicar tudo o que eu senti lendo haha, apenas leiam, vocês não irão se arrepender, não sei como eu demorei tanto! Super beijo! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário